Arquidiocese de Vitória | Espírito Santo

História     Padroeiro     Fotos     Localização     Agenda

COMUNIDADE SANTO ANTÔNIO

RIBEIRÃO DE SANTO ANTÔNIO – ALFREDO CHAVES/ ES

Primeira Igreja

A Comunidade foi fundada por volta de 1924, segundo as famílias mais antigas não foi possível identificar fundadores dessa igreja, mas foram citadas algumas famílias que nela trabalharam como fabriceiras: Zago, Caús e nomes como Gabriel Ganho, Caetano Alves dos Santos, Osvaldo Bossi, Angelim Tavares. O teto era de taboinhas, foi construída de estuque e madeira, era considerada grande segundo os relatos, dentro tinha o altar de madeira e uma escadaria que dava acesso ao lugar do coral. A torre com sino foi construída ao lado da igreja, era baixa que as pessoas batiam com um pedaço de madeira.  A sacristia ficava junto à igreja, porém do lado de fora, a mesma era alta do chão aproximadamente 1,50m que eram pilastras de cimento. Há relatos que as crianças costumavam brincar debaixo dessa igreja, na época de vacinação elas se escondiam com medo de tomar a vacina.

 Naquela época os padres e missionários tinham dificuldades de vir até as comunidades, por isso quando vinham ficavam uma semana, hospedados nas canônicas. No nosso caso, muitas vezes buscavam o padre Luiz Gonzaga a cavalo, mas quem ia voltava a pé, pois deixava o cavalo para o padre vir.

Os missionários faziam atividades religiosas entre elas, iam a noite a procissão com velas acesas até ao cemitério rezar pelas almas. Na época da quaresma os santos eram cobertos com panos pretos ou roxos e também faziam procissão na quaresma e no dia de santo Antônio e Santa Luzia.

Existe hoje um cruzeiro no alto da comunidade, que se criou o hábito de ir lá rezar em 03 de maio dia de Santa Cruz. Esse costume iniciou-se na época dos missionários e tinha como lema: ”Salva a tua alma”, havia uma oração  á Santa Cruz, que segundo os entrevistados tinha  com os seguintes dizeres:

Arreda, afasta Satanás

Que paz não terás

Que no dia de Santa Cruz

Cem vezes ajoelhei,

Cem vezes perseguirei,

Cem vezes ave-marias rezei.

 

São muitas histórias de cruzeiros na comunidade, porque foram colocados em diversas épocas. Há relatos também que existiram as chamadas Cruzadas, eram procissões, onde as pessoas com roupas brancas carregavam umas bandeirinhas com cruz vermelha bordada, nessas ocasiões rezava-se pelo fim da Segunda Guerra Mundial, entre outros pedidos.

Onde hoje se encontra a escola da comunidade (fechada em 2012), funcionava uma pila de café e pilão tocados a água

A imagem de Santo Antonio veio da Itália, trazida por imigrantes que desbravaram a localidade. Havia também uma grande devoção a São Valetim, pois em outubro de 2011 foi encontrado nos guardados da igreja, um quadro do santo de aparência antiga, foi confirmado com os idosos que esse quadro pertencia á primeira igreja de 1924. O mesmo foi restaurado com ajuda de muitas famílias, foi abençoado por Padre Aderbal em 18\10\2011 e se encontra hoje na atual igreja.

Mas foi Santo Antônio que deu nome á comunidade, Ribeirão, por causa do riacho que passa próximo á igreja, então ficou: Ribeirão de Santo Antonio.

Infelizmente por causa do ataque dos cupins foi preciso derrubar a igreja, segundo os entrevistados ficou um tempo sem igreja, os objetos foram guardados em uma canônica também antiga, mas que não foi derrubada.

Segunda Igreja

Paulo Bravin comprou então o terreno que era de Caetano Alves dos Santos e Virgílio Breda, onde ficava a primeira igreja e seus arredores e com ajuda das comunidades vizinhas foi construída a segunda igreja de alvenaria, considerada pequena. José de Monte ajudou na construção, entre outros não identificados. A canônica dessa época era de estuque em formato de casa simples de campo também usada como escola. Possíveis fabriceiros: Horácio Tavares da Silva e Agenor Lorenzon. Aqui a torre do sino era separada da igreja e José Tavares era tocador do sino, pelas pesquisas a igreja foi construída por volta de 1970. Outros fabriceiros citados: José Luis Bassetto, Emilia Tavares, Manoel Valdir de Monte, Geraldo Serafin, Guilherme Tavares da Silva.

Os leilões dessas épocas (da primeira e segunda igreja) eram muito animados geralmente feito com animais. Os leiloeiros às vezes precisavam correr atrás dos animais pra pega-los. Os mais famosos gritadores de leilões eram: Angelim e José Tavares. Atualmente a comunidade tem como leiloeiro somente Agenor Lorenzon.

Os últimos coordenadores em 1996 foram: José Mauro Tavares, Elza Maria Ferreira e Marinalva Tavares da Silva.

Terceira e atual igreja

Em outubro de 1996 a comunidade passou por uma crise e para melhorar a situação, um grupo de pessoas: Ronildo Correa da Silva, Claudir Tavares da Silva, Anair da Penha Serafin, Genivaldo Santana Reis, Manoel Valdir de Monte e Marlene Baltazar com o apoio da comunidade resolveu mudar a estrutura física da localidade e com ajuda geral das comunidades foi possível fazer um mudança radical. Foi feita a derrubada da igreja velha (por ser pequena, simples e precisando de reparos), outro desafio foi a abertura de um novo espaço, pois o que havia era considerado pequeno.A ideia era transformar a localidade com espaços adequados para o conforto social.

Em março de 1997 realizamos a primeira festa de São Bento com intuito religioso, mas também para arrecadar fundos para as novas obras. E com a graça de Deus e outras colaborações os objetivos foram atingidos. N0 dia 04 de novembro de 1997 se iniciou a construção da atual igreja. Seu término deu-se em 04 de abril 1998, gastou-se 103 dias de trabalho, em dinheiro custou R$11.558,06, além é claro de todas as doações.

Em 07 de junho de 1998 foi inaugurada juntamente com a festa do padroeiro Santo Antonio a nova igreja com a participação do Padre Ermindo. Foi uma época de sonho e fé realizada por mãos de um povo batalhador.

 Em 2011 além de ser ampliada, o interior da igreja também sofreu mudanças, foi derrubada a parede em forma de degraus onde colocava alguns santos em seu lugar foi feita uma pintura na parede frontal. A reinauguração aconteceu no dia 27 de janeiro de 2012 com o Padre Elton que veio de São Paulo a convite de Padre Diego de Carvalho (pároco na época da Paróquia Nossa Senhora da Conceição.)

Trabalhos a partir de 1999

1999 a 2000 – Aconteceu à construção do salão comunitário, também foi uma obra difícil de ser realizada, pois é considerada grande, esse salão também foi usado para as missas festivas antes da ampliação da igreja.

Coordenadores: Aderaldo Tavares da Silva, Sérgio Destefani, Jamil Tavares da Silva, Antonio Vitório de Monte e Marlene Maria Oliozi da Silva.

2001 a 2002 – Visita pastoral de Dom Silvestre Scandian, ele observou que  a imagem de Nossa Senhora de Aparecida que temos na igreja é uma relíquia pois é entalhada em madeira.Em 2001 foi forrada a igreja nesse mesmo ano foi instituído o primeiro ministro da Sagrada Eucaristia: Clerisvaldo Santana Reis, depois deste foram :Ângela Maria Serafin Bravin,Luzinéia Destefani Serafin, Vanuza Modolo Reis,Jucilene de monte Reis e Maria Terezinha Schultz Hoffmann(as duas últimas são ministra atualmente.)

Coordenadores: Giovani José B. Lorenzon, Marcelo Santana Reis, Ronildo Correa da Silva, Nilda P. Pereira, Marlene Maria Oliozi da Silva.

2003 e 2004– Restauraram-se as imagens da maioria dos santos, formou dentro do salão a cozinha e sala de catequese. Em 2004 iniciaram-se as doações de pães caseiros pelas famílias para serem doados a instituições e escolas no dia da festa do padroeiro.

Coordenadores: Ronildo Correa da Silva, Claudir Tavares da Silva, Genivaldo Santana Reis, Anair da Penha Serafin e Marlene Baltazar.

2005 e 2006– Primeira festa do padroeiro do setor São Martinho, Santo Expedito em Vila Nova do Ribeirão, ideia organizada pelo padre Pierre. Esta festa acontecia no mês de abril. Em 2006 grande foi o empenho para a construção da capela do Santíssimo, que a igreja ainda não possuía, neste ano iniciamos a doação de doces e balas para a festa de Santa Luzia.

Coordenadores: Juscelino Serafin, Maristela Grasser Serafin e Dejair Bravin

2007 e 2008– Segunda festa de Santo Expedito em Ribeirão de Santo Antônio, melhorias no espaço comunitário e instalação correta da água.

Coordenadores: Maurílio Serafin, Gilmar de Oliveira e Waldemar Teodoro Campos.

2009 e 2010– A comunidade continuou crescendo e o final de 2010 foi feito o calçamento do pátio da igreja com recursos próprios da comunidade.

Coordenadores: Roque Roveda, Marcelo Zanon, Rovane P. Pereira.

2011 e 2012-Foi realizada a ampliação da igreja (já citada), através de doações  foram comprados novos bancos para preencher a igreja que ficou maior­­­­­­­­­­­.

Coordenadores: Clerisvaldo Santana Reis, Fábio Lipkit Rodrigues da Silva Nilo Antonio Zambon e Sérgio Schneider.

2013 e 2014 (até julho de 2015). – Foram feitas excelentes melhorias nos banheiros entre outras.

Essa coordenação trabalhou até julho de 2015, por causa de mudança de paróquia que ocorreu em dezembro de 2014 neste ano, em abril foi feita a ultima festa do antigo setor do padroeiro Santo Expedito, nós levamos a imagem para a festividade acontecer no Ribeirão do Cristo.

Coordenadores: Fábio Lipkit Rodrigues iniciou com o grupo, mas desistiu após alguns meses, Waldemar Teodoro Campos, Genivaldo Santana Reis, Marcelo de Souza Lima, Vanderléia Serafin Lima, Maurílio Serafin.

Agosto de 2015 a 2017– Para esse período escolhido através de eleição comunitária o seguinte grupo: Isaura da Penha Busato, Fabio Lipkit Rodrigues, Claudilene Baltazar toda Silva Maria Terezinha Schultz Hoffmann e Ana Roveda. O tesoureiro Waldemar Teodoro e a secretária Eunice Felícia Campos, se dispuseram a fazer parte desta coordenação com total apoio da comunidade.

Festas anuais

Março: São Bento

Maio: Festa das mães

Junho: Festa do padroeiro Santo Antônio

Agosto: Festa dos pais

Outubro: Festa das crianças e Nossa Senhora Aparecida

Dezembro: Festa de Santa Luzia

Doações de Santos

-Nossa Senhora das Graças: Foi doada pela professora Lúcia De nadai, casada com João De nadai (moradora de Batatal).

-Nossa Senhora Aparecida: Foi doada por Úrsula Ganho.

-Nossa Senhora de Fátima: Doação de Emília Saúde e Caetano Alves dos Santos.

-São Sebastião: Há duas versões sobre doação deste Santo, uma que foi doado por Beatriz Javarini Bassetto e outro por Angelim Tavares.

-São Bento: A primeira imagem que se encontra no oratório foi doado por Marlene Baltazar, mas foi substituída por uma maior que se encontra na igreja que foi comprada com recursos da própria comunidade,a família de Clerisvaldo Santana Reis trouxe da Aparecida do Norte ,São Paulo.

 

VOCÊ SABIA?

* Que Antônio Mariano, quando vereador (1971 a 1972), abriu estradas por conta própria uma delas ligando Batatal a Ribeirão de Santo Antônio?

*Que a energia aqui chegou por volta de 1985?

 *Que antigamente as famílias iam a pé a Alfredo Chaves e gastavam 4 horas para ir e 5 horas pra voltar?

* Que há um cemitério em Ribeirão, mas que foi desativado a muitos anos?

*Que o senhor Ronildo Correa da Silva reinvidicou iluminação pública e que aconteceu em 1991?

*Que a escola foi construída por volta de 1984, e que antes as aulas aconteciam em casas antigas, paióis e canônica?

*Que José de Monte faz benzimentos contra cobreiros, impigem entre outros e que esta passando suas orações para seu genro Clerisvaldo?

*Que a moradora mais antiga da comunidade é Angelina Tavares e Completara 100 anos em julho de 2016

*Que foi construída uma torre na comunidade, e que estamos esperando ativar para termos melhor acesso á comunicação principalmente internet?

*Que em 1985 houve um assalto na casa dos Tavares (Três solteiros) e que 7mataram a Maria Tavares com a mão de pilão?

*Que em abril de 1987, caiu uma tromba d’água, de Ribeirão para Batatal que deixou a casa de Gentil Deus do Rosário (Tinin Moraes) á beira de uma ribanceira e que carregou pila de café e quitungo dos Tavares,parte da casa de Valentim Tavares e até o enxoval de sua filha Emília?

* Que após tromba d’água de 1987, foi preciso usar explosivos em grandes pedras para liberar a estrada e que o Sr. Ronildo da Silva e outros amigos, precisaram correr muito para não serem atingidos pelos pedaços das pedras?

* Que a família de Clementino Rossi (Marechal Floriano) doa pãezinhos para a festa de Santo Antônio, promessa antiga e que a Randson Denadai também iniciou este gesto?

* Que praticamente todos os objetos antigos da comunidade sumiram e que havia dois sinos e que hoje só tem um?

TRÊS HISTÓRIAS CURIOSAS

  • Horácio Tavares da Silva – Um dos moradores mais antigo da comunidade.  Casou-se em 1949 com Iracema Correa da Silva. Em 1944, foi convocado por Getúlio Vargas para combater a Segunda Guerra Mundial, foi para o Rio de Janeiro para servir no Primeiro Regimento de Cavalaria Divisionário e lá ficou por volta de um ano mas ,nesse período doou sangue para os combatentes que estavam na guerra.Felizmente a guerra terminou em 1945 e ele acabou voltando..
  • Valdimiro Serafin– Casado com Anair da Penha Serafin desde 1961. È um armeiro conhecido por muitos estados brasileiros, por concertar armas de fogo de uso civil permitidas devidamente legalizadas, iniciou esse trabalho aproximadamente 55 anos atrás, seu filho Geraldo Serafin exerce a mesma profissão, até um grupo da Itália já procurou seus serviços. A família também tem habilidade de trabalhar com madeira e sempre colaboram com a igreja,em 13\12\2014 ele doou uma cruz muito bem trabalhada.Em 23\08\1999 a família foi vitima de um assalto, ficaram reféns por sorte ninguém se feriu mas levaram várias armas da família e clientes. Eles foram os únicos a realizar Bodas de Ouro na igreja em 21\05\2011.
  • José de Monte – Casado com Izabel Maria Ferron de Monte desde 1963, ele foi soldado da Segunda Companhia do Batalhão de Guarda, foi para o Rio de Janeiro em 1953, lá ficou por 2 anos e segundo ele houve uma  manifestação no dia 25\08\1954 onde eles e outros soldados tiveram que cercar o palácio para não ser invadido  pelos manifestantes, dia em que Getúlio Vargas suicidou-se.

Características

Atualmente a comunidade e composta de 42 famílias e 70 dizimistas.

Há também 3 catequistas para atender a comunidade.

 

FAMÍLIAS FIXAS ATUAIS E\OU DIZIMISTAS

DEUS DO ROSÁRIO GRASSER
PINTO FERREIRA
PEREIRA LORENZON
MARTINS WANDERMUREM
SOARES ALMEIDA
MODOLO SANTANA REIS
DE MONTE ZANON
SAVIGNON VELTEN
LIPKIT BASSETTO
SANTOS DE GUSMÃO
TAVARES DA SILVA SERAFIN
CORREA DA SILVA BALTAZAR
BUSATO PENHA
BRAVIN PEZZIN
DESTEFANI CAMPOS
CAUS COSTA
DA VITÓRIA BEZERRA
OLIVEIRA MEDEIROS
CELESTE CORTELETTI
DAMIANI SCHNEIDER
POLI LIMA
SCHULTZ HOFFMANN
ZAMBOM ROVEDA

 

foto1 foto2 foto3 foto4 foto5 foto6 foto7 foto8 foto9 foto10 foto11 foto12 foto13 foto14 foto15 foto16 foto17 foto18 foto19 foto20 foto21 foto22 foto23 foto24 foto25 foto26

FONTE: Comunidade Ribeirão de Santo Antônio.

Pages: 1 2 3 4 5